NOTÍCIAS
Elias D’Angelo ressalta acordo
Diretor da FETAEG, Elias D’Angelo Borges comemora a assinatura de Termo de Ajutamento de Conduta (TAC) entre o Incra de Goiás e o Ministério Público Federal para regularizar a situação de cerca de 60 famílias de trabalhadores rurais que adquiriram irregularmente uma parcela no Projeto de Assentamento Santa Marta, no município de Mundo Novo. Elias D’Angelo lembra que o TAC, assinado agora pelo superintendente do Incra, Ailtamar Carlos da Silva, e o procurador da República Peterson de Paula Pereira, representando o Ministério Público Federal (MPF), foi o resultado de audiência pública realizada dia 7 de abril em Mundo Novo. O TAC define os requisitos que os ocupantes em situação irregular deverão possuir para permanecerem na parcela. Os que não preencherem os requisitos serão retirados da terra pelo Incra, que vai reassentar no local uma outra família já cadastrada. Essa é a primeira iniciativa no Estado para a regularização das famílias que ocupam parcelas que foram vendidas, alugadas ou arrendadas. Em Goiás, o Incra já identificou cerca de 800 parcelas em situação irregular. Devem continuar na terra apenas aquelas famílias de trabalhadores rurais que possuem o perfil já estabelecido pelo Incra para os demais beneficiários da reforma agrária. Para ser assentado, o trabalhador rural tem de ter renda familiar inferior a 2 salários mínimos, não pode ser funcionário público e não pode ser dono de nenhum imóvel, entre outras exigências. O Projeto de Assentamento Santa Marta tem 460 famílias. Destas, mais de 90 venderam, alugaram ou arrendaram a parcela. Dos novos ocupantes, somente cerca de 60 famílias se enquadram no perfil exigido pelo MPF. As famílias de trabalhadores rurais que tiverem a situação regularizada, passarão a receber do Incra créditos e assistência técnica. Aquelas que repassaram a terra a terceiros vão responder a processo criminal na Polícia Federal e ainda terão de devolver os créditos recebidos do Incra. Os parceleiros sem perfil de beneficiários da reforma agrária, vão ser retirados da terra, sem direito à indenização. Além das parcelas comercializadas, o Incra vai retomar aquelas que permanecem improdutivas. Há expectativa de ampliação dessa ação do Incra e MPF em outros assentamentos na mesma situação.

  Imprimir   Voltar   Topo   Fonte: P  M  G 

 28/04/2015 15:10 h - Governo apresenta respostas à Carta Proposta da Ju...
 27/04/2015 17:45 h - Fetaeg e CEF entregam casas para trabalhadores rur...
 23/04/2015 08:00 h - Vem aí o Festival da Juventude Rural...
 20/04/2015 08:00 h - FETAEG lamenta o falecimento o do ex-presidente da...
 16/04/2015 14:10 h - Governo anuncia medida para desburocratizar aposen...
 16/04/2015 08:00 h - Grito da Terra Brasil alimenta os sonhos de trabal...
 15/04/2015 08:00 h - 21º Grito da Terra Brasil já tem data confirmada!...
 14/04/2015 15:30 h - MSTTR entregará pauta do Grito da Terra Brasil 201...
 09/04/2015 15:15 h - Fetaeg se posiciona contra ao PL 4330/2004...
 09/04/2015 15:00 h - Agro Centro-Oeste Familiar ocorre em maio...
 09/04/2015 08:00 h - Em defesa do direito universal à saúde pública, gr...
 06/04/2015 17:20 h - Está chegando a hora: 3º Festival Nacional da Juve...
 02/04/2015 11:00 h - Trabalhadores do setor sucroenergético lutam por a...
 31/03/2015 16:45 h - Fetaeg realiza Assembleia Geral Extraordinária...
 27/03/2015 16:00 h - 2015: Ano Internacional dos Solos...
 19/03/2015 18:00 h - MSTTR entrega Carta Proposta da Juventude Rural ao...
 19/03/2015 15:00 h - Negociações da 31ª Convenção Coletiva são retomada...
 16/03/2015 15:30 h - NOTA DE PESAR...
 10/03/2015 18:00 h - Começa 31ª Convenção Coletiva do setor canavieiro ...
 08/03/2015 08:00 h - 8 de Março “Dia Internacional da Mulher”...